Google+ Followers

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Minha filha e o andador


Todo mundo enche o meu saco, em relação ao desenvolvimento da minha filha....
É um tal de : ela é muito magrinha, ela ainda não fala nada?, Ela já está engatinhado?Ela já está andando? Se você comprasse um andador ela já estaria andado....
Eu e meu marido definimos desde o ínicio(lê-se filha na barriga ainda) que não compraríamos o tal andador.  Primeiro porque já ouvi muitos especialistas falando mal uso. Segundo porque sempre achei que a criança fica "preguiçosa" naquilo, ela senta e se arrasta para onde quer ir....
Queria deixar claro, que é minha opinião, e cada um tem a sua opinião. Minha irmã mesmo tem um filha de 9 meses e já a colocou num andador (minha filha tem 1 ano e 2 meses e agora dá os primeiros passinhos mais "confiantes" sem nunca usar um andador);
E para aqueles que continuam a me encher e que agora podem usam minha sobrinha como exemplo... eu mando essa matéria do site http://guiadobebe.uol.com.br/bb1ano/andador_um_atraso_na_vida_dos_bebes.htm


Andador: um atraso na vida dos bebês


Como é lindo ver seu bebê com maior liberdade de explorar o espaço mesmo quando ainda não anda, mas usa um andador. O grande erro dos pais – em seu total desconhecimento - é achar que o andador ajudará no aprendizado da criança ao começar a andar. Isso não é verdade. O andador traz prejuízos no desenvolvimento psico e motor do bebê.
Por que será que não é bom? Por vários motivos. A criança desde o nascimento passa por etapas do desenvolvimento em que cada fase serve de base para a próxima. Primeiro sustenta a cabeça, depois rola o corpo para os dois lados, se arrasta de barriga para baixo, senta com apoio, depois sem apoio, engatinha (alguns não passam por essa etapa), ficam em pé para então começarem os primeiros passinhos.
Em todo desenvolvimento motor e de equilíbrio a criança explora o ambiente e os objetos em sua volta, desenvolvendo paralelamente o aspecto neurológico. O bebê tenta alcançar objetos, observa os adultos e suas ações e imita.
O andador força a criança a pular várias dessas etapas essenciais para o desenvolvimento. Ela, por exemplo, não deixa a criança experimentar os “tombinhos” naturais do início do aprendizado do caminhar e, assim, a aquisição do equilíbrio é limitado e pode ainda deformar a estrutura óssea da perna.
Por pular etapas, o andador atrasa o início da marcha. Se o bebê é pequeno para o andador, usará somente as pontas dos pés para movimentar-se, o que poderá causar alguns problemas além do atraso da marcha, como alteração óssea.
Falsa liberdade - A sensação de liberdade que o andador oferece é ilusão. O andador não deixa a criança explorar adequadamente o espaço que está. Um simples objeto no chão e que desperte a atenção do bebê passa a se tornar algo inalcançável para o pequenino, pois o andador não oferece condições para que ele pegue e conheça a peça.
Já o bebê que não usa o andador poderá sentar-se no chão, engatinhar ou ir se apoiando nos móveis até chegar ao objeto desejado. Lembre-se: enquanto manuseia objetos e brinquedos, o bebê está desenvolvendo seu cérebro.
Veja como uma coisa puxa outra. O que pode ocorrer também com as crianças que usam o andador é a falta de estímulos pelos pais. Como a criança gosta do andador por movimentar mais rápido, ficam quietinhas e brincam sozinhas e são “esquecidas” pelos pais. A falta de estímulo pode causar uma deficiência no desenvolvimento neurológico.
Os acidentes que podem provocar graves lesões nas crianças são outro problema relacionado ao uso do andador. Os acidentes mais comuns são os tombos quando as crianças usam os pés para se impulsionarem para trás e batem a cabeça e as quedas em degraus.
De tão prejudiciais e perigosos para as crianças, a venda de andadores em países como o Canadá já é proibida.
O uso do andador compromete muito o desenvolvimento global das crianças. Os pais devem pensar nas conseqüências do andador antes de comprá-los. Não há criança normal que deixou de aprender a andar por falta do andador.
Obs: este artigo trata dos andadores onde as crianças ficam "sentadas". Os andadores "modernos" são aqueles onde a criança utiliza-o apenas para apoiar-se, como se estivesse empurrando um carrinho de supermercado. Para esses não há restrição.

PS.: Minha filha tem um desses "modernos" mas não gostei muito não ( e nem ela) porque parece que ele "anda" mais rápido que ela.




2 comentários:

Deia Rodrigues disse...

Cris, não liga para o que falam ou cobram de você. Ísis se desenvolve muito bem, é uma criança esperta, grande, linda.
Ela está crescendo no tempo certo, está tudo acontecendo no tempo certo.
Eu sou suspeita a falar, né? Mas ela é liinda demais! haha

Carolina Monteiro disse...

Cristiane, cada criança tem seu tempo, nenhuma delas tem uma certa idade para tal coisa, então, não dê ouvidos ao que falam, a Ísis é linda e pelo que vejo é uma criança muito esperta! E sobre o andador: também não gosto! Bjs